Novidades
Ronco e Apneia
Quem acredita que roncar é apenas uma situação embaraçosa e incômoda se engana. O ronco é uma doença, que se não for tratada adequadamente pode evoluir, trazendo inúmeros riscos à saúde.



Confira alguns dados:

® 1 em cada 8 pessoas ronca



® maior % no sexo masculino

- 40% dos homens adultos e 30% das mulheres



® mais frequente com o avanço da idade

- 60% das pessoas com mais de 55 anos



® 3X mais comum em obesos do que em magros



◊ A consequência mais importante e séria do agravamento do ronco é a Apneia Obstrutiva do Sono (AOS), que pode trazer inúmeros riscos e consequências à saúde!



Calcula-se que 30% dos roncadores também sofram de apneia!!



A apneia se manifesta quando há a obstrução total da passagem do ar provocando uma parada respiratória que duram em média de 10 a 30 segundos, o que leva frequentemente à queda na oxigenação do sangue. Em casos graves, esta diminuição na oxigenação é acima de 3%.



Existe ronco sem apneia, mas não existe apneia sem ronco!



Se o ronco não for tratado, os sintomas dele podem piorar e a grande ameaça é a possibilidade de ele ser apenas o quadro inicial de um problema mais grave, a apneia, uma doença crônica que pode levar à morte.



Roncar durante o sono é tão antigo como o próprio homem. Antigamente era tido como uma manifestação de boa saúde, e o incômodo causado aos outros, especialmente os familiares, era o único aspecto levado em conta e normalmente resolvido isolando o roncador em um dormitório só para ele.



Entretanto, recentemente a ciência passou a dar uma maior atenção ao ronco, relacionando-o ao comportamento do roncador quando este está acordado, percebendo por vezes uma queda em seu rendimento nas suas atividades diurnas.



O que provoca o ronco e a apneia do sono?



Aumento do peso: este é o mais comum fator de risco nos adultos. O aumento do tecido adiposo no pescoço reduz o calibre da via aérea predispondo a obstrução durante o sono.



Idade: com o envelhecimento ocorre diminuição progressiva do tônus e elasticidade dos tecidos da garganta favorecendo a obstrução das vias aéreas.



Constituição facial genética e alterações do formato da cabeça e pescoço pode resultar em menor espaço para passagem de ar na boca e garganta.



Amígdalas e adenoides grandes, menos comum nos adultos, são causa frequente de apneia do sono nas crianças.



Como saber se você sobre de Apneia do Sono?



O indivíduo raramente percebe que tem dificuldade para respirar durante o sono e por esse motivo, em muitos casos a suspeita da doença ocorre por outras pessoas que observam os episódios de apneia ou devido aos seguintes sintomas que podem ser observados:



® Ronco alto e interrompido

® Sono agitado

® Engasgos noturnos

® Sonolência excessiva durante o dia

® Despertares frequentes

® Levantar-se para urinar à noite

® Pesadelos

® Sono não reparador

® Fadiga crônica

® Dor de cabeça pela manhã

® Irritabilidade

® Apatia, Depressão

® Dificuldade de concentração

® Perda de memória

® Impotência sexual

 

Adaptado de roncoeapneia.com.br, textos de Dr. Maurício Duarte da Conceição. E de Instituto do Ronco e Apneia em tratamentodoronco.com.